"A música brasileira emocionadamente agradece o que Jeff Gardner nos concede pelo intermédio de seu piano e de suas composições.
Grande artista que com autoridade mergulha nas profundezas do choro, valsa, baião, samba, etc., transitando brilhantemente
e enriquecendo os nossos estilos, com harmonias e improvisos belíssimos que servirão de agora em diante como
fonte de estudo para todos nós compositores e instrumentistas. "
Guinga
 
 
"O som está lindo e gostoso. É so esperar para conferir,
Jeff é um grande músico, falo do coração".
Hermeto Pascoal
 
 

"Bom gosto, toque refinado, e uma técnica perfeita; elegância e eloqüência de concepção e articulação... Da pra afirmar que Jeff Gardner seja o mais comovente e original pianista pós-Bill Evans."
Dr. Michael Hittman - Radio WLIU



 
 

Jeff Gardner é pianista e compositor nascido em Nova York e radicado no Brasil desde 2002. Sua clareza ao lidar com a música brasileira e nossos ritmos como afoxé e baião surpreendem, confundindo o ouvinte a respeito da origem do próprio artista.
Estudou com nomes lendários do universo jazzístico, entre eles: John Lewis, Don Friedman, Charles Banacos e Jaki Byard além de Nadia Boulanger e Ivan Tcherepnin (música erudita). No Brasil tocou ao lado de Hermeto Pascoal, Victor Assis Brasil, Paulo Moura, Hélio Delmiro, Mou Brasil, João de Aquino, Nivaldo Ornellas, Carlos Balla, Alberto Continentino, Pascoal Meirelles, Téo Lima, Dori Caymmi e Nelson Veras. Tambem se apresentou com artistas de jazz tais como Freddie Hubbard, Steve Lacy, Gary Peacock, Eddie Gomez, Kenny Wheeler, Eddie Harris, Billy Hart, Norma Winstone, e o Quarteto de Pianos com Martial Solal, Jaki Byard e Paul Bley. Jeff tem 17 CDs lançados.
Fortemente envolvido no ensino musical, Jeff foi professor na New York University, dá workshops e masterclasses em muitos países. Lançou pela Editions Henry Lemoine (Paris) um método completo de técnica pianística e improvisação, o “JAZZ PIANO: CREATIVE CONCEPTS AND TECHNIQUES”, e os livros “BLUES BOOK”, “SENTIMENTO BRASILEIRO”, “EASY JAZZ PRELUDES”, e “SHAPES (ESTUDOS INTERVALICOS)”